NADA ME PODE IMPEDIR DE TE AMAR [2a. VERSÃO]

Nada me pode impedir de te amar.

Tenho sabido encontrar o teu corpo

nos corpos de outras mulheres,

entre as quais a noite, a bruma de mornos

lábios e a aurora de lentos, líquidos cabelos.

 

Nada me pode impedir de te amar.

Nada te pode guardar do meu verso.

Serei um pouco pai do teu filho, amor,

malgrado haja outro. E serás sempre,

e sempre, inocentemente traidora.

 

Se inda não sabes disso, ora: persistes,

no imo de ti, mais menina que mulher.

 

Nada me pode impedir de te amar.

E de ter o teu amor. Viver na tua vida;

pulsar na tua carne, referver no teu

sangue. Gelar. No teu olhar oceânico.

 

Nada me pode impedir de te amar.

Nem a morte. Calar-me-á no teu peito.

 

 

Igor Buys

10 de maio de 2017

 

 

Kristiana Pelse; fotos roubadas

 

 

 

Please reload

Postais em destaque

VERSOS ÍNCUBOS

17.11.2019

1/14
Please reload

Postais recentes
Please reload