PIÑA COLADA - excerto

E esse poeta, esse tal poeta, em aqui vivendo,

e se não furtando a esperar com ternura,

de ali estar por longas horas sob a luz dourada dos verões,

numa noite limpa de luar azulado, estou certo,

a teria visto: à sua Musa, caminhando sobre a madeira molhada do cais,

com saltos qual punhais brasinos, os pés

a pisarem para dentro, como os de um felino, os quadris

indo e vindo ao sabor desse jogo (hipnótico...). O poeta. É claro,

estancaria. E ela continuaria vindo, e vindo, o olhar forte,

já não mais uma miragem, senão: um Anjo! é concreto...

até atravessá-lo: suave labareda.

Igor Buys

Ilha Grande, 27-01-2018

Catamarãs de navio de cruzeiro indo e vindo em relação à nave-mãe. Imagem feita

com a câmera bastante limitada de um celular CAT-15

Ca

Postais em destaque
Postais recentes