LUA E AURORA

“Lua e Aurora': duas formas de amor

e suas expressões poéticas"

A Lua, quando me chega,

abranda o meu peito

de lilases, bruma negra,

seda, melena que me roça

e me lava, me leva

enlevado para além de m-

im. Para onde sou e so-

ssego. C(ego): onividente.

A Aurora, quando me rasga,

deixa osso e alma à mostra:

encarnados, transvasando-se.

Pantera menina, recém-nada,

recém-tudo; de todo ilumina

o que me era latente: instinto,

contradição, querer demente.

Igor Buys

In Versos Íncubos, 2014

Escultura em arame; Robin Wight

Postais em destaque
Postais recentes