POESIAS DE NATAL

Concebidas durante a ocupação do Complexo do Alemão,

no Rio de Janeiro, em dezembro de 2010

 

 

HAICAI DE BOTAS


Homem de preto.
Homem de azul.
Homem de oliva.

De vermelho, a poça.
Botas.


Igor Buys
10 de dezembro de 2010

In Versos Íncubos; ed. Scortecci

 

 

 

 

ENQUANTO ISSO, NO COMPLEXO DO ALEMÃO...

 

Vovó, por que ele tá assim?
Porque ele tá descansando.
Descansando?
Sim.
Por que ele tá de olho aberto?
Porque ele descansou rápido demais.
Por que a gente tá aqui?
Porque ele era seu pai.
Meu pai?
Sim.
E quem são eles?
Sussurrando: Polícia. Não olha pra eles.
Sussurrando: Por que eles tão bravos?
Porque tão com pressa de ir pra casa.
O qu'é isso na sua mão?
Sua foto.
Você botou nele?
Sim.
Por quê?
Porque ele veio conhecer você.
É?
Sim.
Por quê?
Porque é Natal.
Vovó, o qu'é isso, feito um colar?
Um terço. Presente, minha filha.
Você deu pra ele?
Sim.
Por quê?
Porque é Natal.
Vovó, por que ele tá rindo?
Parece? Vige, Nossa Mãe...
Porque é Natal?...
Sim. Porque é Natal.


Igor Buys
10 de dezembro de 2010

In Versos Íncubos; ed. Scortecci

 

 

 

 

 

 

Please reload

Postais em destaque

GUARDA-ME

05.02.2020

1/16
Please reload

Postais recentes

24/02/2020

24/02/2020

23/02/2020

22/02/2020

22/02/2020

Please reload