DA PERFEIÇÃO

A perfeição é fechada, impenetrável, estática, imutável, incapaz de surpreender quando se a contemple pela segunda vez; busca-se a perfeição como se busca a morte -- sim! todos perseguimos a morte, é apodítico, não para morrermos, senão para vivermos, eis a nossa busca, do contrário, nota: já estaríamos mortos -- e sem a busca da perfeição, permaneceríamos tortos: mas não se quer permanecer, estáticos, imutáveis, frios: saciados de toda fome, livres de toda agonia; e, por isso, para não permanecermos, perseguimos a permanência, a imutabilidade, a perfeição e a morte. A esta decerto encontraremos; já aquela, quiçá, seja um mito, uma fábula ou mero disfarce da morte: expediente para arrostar a Medusa como ícone: imagem especular, inofensiva; ou, para os mais fracos: como Deus, como maravilha. A perfeição é o nada absoluto.

Igor Buys

Postais em destaque
Postais recentes