CACHOEIRA

A pedra lisa, arredondada,

mão na tua cintura alva, beijo d'água;

cabelos que jorram incendiados de noite

por entre blocos de sol, degraus do dia,

torrentes de prata e chama negra

se acumulando no lago abaixo..., abaixo

ou acima? Céu azul e véus de lua nua.

És a cachoeira, a cachoeira és tu.

Os músculos do teu pescoço

entre meus lábios e dentes;

minha boca desliza, meus dedos

se afogam em mel e flores cálidas.

Véus de lua e véus de espuma

a girarem com a tua dança,

cores da mata, do fruto, do pássaro

de um pequeno íris em leque.

És a cachoeira, a cachoeira és tu,

coxas pousadas por sobre as minhas,

seios manando leite nas minhas mãos,

olhos vidrados de enxergar estrelas...

no alto, acima e além do manto da tarde.

Igor Buys

Ilha Grande, 06 de outubro de 2019

Cristielli Camargo

Postais em destaque
Postais recentes