A AMIZADE

Versão de L’Amitié, de Jean-Max Rivière 

 

 

Muitos de meus amigos são vindos das nuvens.

Têm sol e chuva como simples bagagem.

Eles proclamam a estação das amizades sinceras,

a mais bela estação das quatro da Terra.

 

Guardam a doçura tal das mais belas paisagens,

toda a fidelidade das aves migratórias.

Nos corações trazem gravada infinita ternura.

Mas por vezes a tristeza bruxuleia em seus olhos.

 

E então eles vêm se aquecer em minha casa.

E tu também virás.

 

Tu saberás regressar ao imo dos cirros-estratos

e inda uma vez sorrir à luz d'outros olhos.

Doar ao entorno um pouco de tua beleza

quando outro te queira esconder sua angústia.

 

Como não sabemos de fato o que a vida é,

pode ser que eu mesmo já não seja ninguém...

Mas se me resta um amigo que me compreenda,

olvidarei a cada visita minhas lágrimas e dores.

 

E enfim talvez venha eu à tua casa

aquecer o coração junto à tua lareira.

 

 

Igor Buys

03 de dezembro de 2012

 

 

Françoise Hardy; "L'Amitié"

 

 

Please reload

Postais em destaque

VERSOS ÍNCUBOS

17.11.2019

1/14
Please reload

Postais recentes

13/12/2019

Please reload