VIA LÁCTEA

Sonhei contigo, hoje. É sério. Seriíssimo.

Foi um sonho erótico. E psicológico.

Estavas lactante, os seios intumescidos,

lindos. E eu tinha uma sede profunda...

E uma fome, mais externa, das tuas

pernas, das tuas formas, do teu abraço.

Num quarto minguante, onde sempre

nos acharemos, — nada pode impedi-lo,

eu te tive, então, sentada de frente,

— taquicardia amiga —,

de frente para a minha ânsia e lágrimas.

Lágrimas brancas sobre teu colo lácteo,

saudade, sal e mel; filial, paternal amor.

E quando a manhã me beijou as pálpebras,

teu abraço alvo, morno me cobriu de novo.

E soube: que entre nós, todo sonho é Carne.

Igor Buys

15 de outubro de 2012

In “Versos Íncubos”

Postais em destaque
Postais recentes