FUNDAMENTAL É A LAVAGEM RETAL!

Manhã seguinte. Sol estridente.
Já veio a ressaca e o porre ainda não passou
De todo. O navio do mundo cambaleia e
Balouça ao sabor dos maus humores, dos maus
Amores e de outros mares, outros males.
 
Ó, o amor! Fundamental é o amor?
Não. Fundamental é a lavagem retal!
O resto... É negociável.
Afinal, as maiores delícias do fêmeo corpo
Com duas letras é que se grafam.
Mas uma destas não requer lavagem recente,
Senão, pelo contrário: algum leve buquê
Entre cítrico e derivado do leite.
 
Manhã seguinte. Golfinhos saltam à minha volta;
Um polvo rugoso, de cem ventosas, se des-pren-
De mole dalguma pedra de musgos, sei lá onde.
 
Mas o fundamental é a lavagem retal;
O resto é negociável, explicava eu.
Sim: há que negociar!
O que é DR, senão liberalismo pré-cama?
O meu mais arraigado valor antiburguês
Pelo teu mais inflacionado e caríssimo bem.
Isso acordado entre as partes, até falo inglês!
Strictly business, direi!
 
Nas férias irei contigo a Nova Iorque
— só Miami Bitch é inegociável.
E a Disney: não negarei Suassuna!
 
Sentar-me-ei à mesa dos medíocres
Oportunistas; comungarei da sua idiotia,
Contarei onde comprei o terno, saberei
Quanto gastaram no Natal, na reforma.
 
Só não me falte, amor, com o tal
Bendito procedimento.
Quero testemunhá-lo, presidi-lo
— Obrado em quatro ou cinco etapas mornas,
Que findem com o besuntar guloso, tenro
Da pasta ou do creme, sabe Deus,
Que tem sabor de amêndoas anticéticas
E é de todo em prol do cético, esfomeado de flor.
 
O amor não redime, não engrandece,
Não emagrece: traz mais apetite noturno
Do que queima calorias, convenhamos.
O amor? Não é eterno, nem é do belo:
Não para além de um patê de coelho
Ou de um mais trivial bife a cavalo:
Puro apetite e pulsão ignara.
 
Inventou-o a evolução, no seu afã
De mais carne, mais continuidade e mutação;
Não o Coração, não a verve ou a Lira.
 
Inobstante..., ora, essa vontade de dizê-lo
(Eu te amo, eu te amo); vontade ambarina,
Escocesa, estranha e estrangeira a mim,
A alimentar o bailar de dois peixes palhaços,
Loucos por entre os tentáculos da anêmona
Imunes que são ao seu veneno.
 
 
Igor Buys
(heterônimo Gregório Ivo)
25 de julho de 2014

 

 

 

Reprodução: O Bebedor de Absinto; Picasso

 

 

Please reload

Postais em destaque

VERSOS ÍNCUBOS

17.11.2019

1/14
Please reload

Postais recentes

08/12/2019

05/12/2019

05/12/2019

Please reload