ISTO

Isto é o que sou
e não sei;
é o que sei
e não sou;
o que defenestro
e vomito;
o que amo
e não digo.

Isto é o meu silêncio
mais que o meu grito.

Isto é o que
te jogarei na cara,
ainda que cara
me seja a tua voz.

Isto é o que
não se cala,
mesmo sendo
palavra muda.

Isto é sêmen,
levedo;
isto é cicuta,
degredo.

                    Não abras as coxas
                    ao meu verso
                    ou te faço um filho.

                    Não grites Barrabás
                    ao meu Verbo
                    ou te ressuscito nua.

                    Meu verso tem poder
                    mesquinho
                    sobre o que é não-ser.

Isto é o que nego,
depois faço.
Isto é aquilo
e aquilo outro.

Isto é o que não
vivo.
É o que suicido.


Igor Buys

in 'Versos Íncubos'; 2014

Incluído na peça 'Labirinto'

 

 

Foto roubada da modelo Angelin Mickle

 

 

Please reload

Postais em destaque

VERSOS ÍNCUBOS

17.11.2019

1/14
Please reload

Postais recentes

13/12/2019

Please reload