• poesia

RAINHA (2a. Versão)


Senta sobre a minha pélvis,

põe os pés no meu rosto.

Pisa sobre a minha testa

e a minha boca, dentes, lín-

gua, sede. Senta, te ajeita;

usa as minhas pernas como

encosto; joga os teus cabelos

para trás. Senta-te, meneia,

me ajeita a mim bem dentro

do teu calor. Pisa sem peso

a minha gula com o calca-

nhar, o creme, as dobras

da tua pele de leite; com o

peito, a faca, o arco do pé.

Pernas que aliso e guardam

um frescor misterioso alheio

ao ambiente, à noite quente.

Guarda-me em ti e me doa

o teu ritmo, os teus seios

saltitantes, tua beleza de

Deusa, Rainha... E escrava.

Ama-me com força suave,

esse teu bailar de chama.

Estrela gigante acima,

queimadura, clarão cego.

Mansa escuridão abraçada.

Igor Buys

09 de abril de 2019 / 26 de dezembro de 2019

Bárbara Schons Boller